Parceria: seria algo tão ruim ?

106843.jpg

A tônica no futebol deste ano tem sido o investimento.Só agora os clubes perceberam a importância de se investir em contratações e que isso dá, realmente, retorno aos clubes.Investimento é sinônimo de time forte, marketing e títulos.Ou melhor, brigar por eles.E como os clubes brasileiros, ainda, não têm possibilidade de investir somente com as arrecadações, as parcerias entram em cena.

Citando algumas das parcerias recentes do futebol brasileiro, temos: Traffic no Palmeiras, Unimed no Fluminense e MSI no Corinthians. No caso do Palmeiras, o clube serve de vitrine para os jogadores contratados pela empresa, lembrando que a mesma investe em jogadores jovens afim de obter lucros futuramente.

No Fluminense, a parceria é diferente de todas as outras: é feita pela Unimed, patrocinador oficial do clube.Nesse caso, o investimento visa o marketing para a empresa e um time forte para o clube.O patrocinador banca os salários do elenco.Muitos dizem “nossa, olha o investimento que a Unimed faz, é muito alto”.Pois é, mas quem acha que a empresa se “aventura” nestes investimentos está enganado.A patrocinadora investe 1 real e tem retorno de 12 reais em média, tendo picos de 50 reais em cada 1 real investido, como aconteceu no ano passado com a conquista da Copa do Brasil pelo Fluminense.Cá para nós, um excelente retorno midiático e posteriormente financeiro.

Já no Corinthians….bem, no Corinthians a parceria rendeu craques, título e … rebaixamento.Um time fantástico, assim como seu investimento, muitas estrelas, expectativas e por ai vai.Mas como todo plano, uma falha pode significar o fim.E essa falha foi da diretoria do Corinthians, que não foi capaz de fazer uma parceria que fosse segura.Logo após o título Brasileiro, o fundo de investimentos MSI vendeu seus principais jogadores e desestabilizou o elenco.Não teria um time desestabilizado, uma vida longa.E foi exatamente isso que aconteceu, o clube caiu para a 2º divisão do futebol brasileiro para desespero de sua fiel torcida.

O molde das parcerias são diferentes.Algumas com projetos e pessoas sérias à frente delas ou outras não tão organizadas assim.Só para lembrar algumas outras parcerias, estão: Parmalat no Palmeiras(1993-94), Excel no Corinthians(1997-99),Bank of American no Vasco(2000), ISL no Flamengo(2000-01) e no Grêmio(2000-02) também, Hicks Music no Corinthians(2000-02).De todas essas parcerias saíram títulos.O problema é a estrutura da parceria que pode ser maléfica, em sua saída, ao clube.

O segredo de uma parceria boa é ter bom planejamento, pessoas sérias e competentes à frente do projeto e principalmente não deixar esta parceira mexer na estrutura do clube, pois as parcerias passam e os clubes ficam , assim como a sua história e sua torcida.É só os dirigentes não ficarem tão encantados com as maravilhas da parceria e se preocupar realmente no que pode acontecer de melhor e especificamente de pior.

Parcerias são boas, só resta saber conduzí-las porque, com certeza,os clubes rumarão às glórias.

Bem pessoal, este foi (aleluia, meu Deus) o primeiro post de 2008!Espero que tenham gostado e COMENTEM !!!   

Anúncios

Um comentário sobre “Parceria: seria algo tão ruim ?

  1. Cara belo texto, creio que o que falta são os dirigentes valorizar mais o clube quando realizar parcerias, pois não adianta nada a parceria investir e ter lucros e deixar depois o clube na miseria!Abração

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s