Apenas mais uma esperança.

O clima era de final, não se via algo assim desde a final da Copa João Havelange em 2000.Na Quinta da Boa Vista já era possível escutar o buzinaço e torcedores saindo dos ônibus entoando os cantos da torcida, mesmo sendo apenas 18:00 horas. Se fosse pela torcida o jogo já estava decidido, e digo mais, o Campeonato, era um clima de festa completa. As ruas estreitas de São Cristóvão estavam completamente congestionadas e nos bares da Colina era um mar de cruzmaltinos onde não se via começo, nem fim.

 

Os portões se abrem, a torcida aquece a garganta. Faltavam quase 3 horas para o início da batalha, mas pouco importava, estávamos pronto para o embate. Eram 20 mil cruzmaltinos, mais 4 mil que não conseguiram entrar embora estivessem com o ingresso na mão – algo complicado de se explicar, uma vez que a lotação de São Januário é de 35 mil.

 

A entrada da Equipe, liderada pelo Animal, foi acompanhada de uma linda imagem da torcida escrevendo “VASCO DA GAMA” com sinalizadores (nota: A Torcida Vascaína foi inovadora em fazer imagens, com uma Cruz de Malta, no Brasileiro de 2007 em São Januário, contra o São Paulo). A volta do foguetório foi algo marcante, foram quase 8 minutos de fogos, que não sufocou a torcida.

 

O jogo começou e a equipe não mostrou para o que veio. Morais em noite pouco inspirada, Jorge Luiz, Luizão e Jonílson não ganhavam uma bola quando marcavam, e o garoto Alex Teixeira pareceu entrar em campo já cansado e foi vaiado no final do primeiro tempo. O único que teve trabalho, na primeira etapa, foi o arqueiro vascaíno Tiago com um chute perigoso de fora da área.

 

O segundo tempo começou com Jean no lugar do garoto de 100 milhões, dando maior velocidade ao ataque. O Bacalhau mostrou serviço após a bronca do Delegado no vestiário, mas o gol não saiu, até a entrada de Mádson no lugar de Morais, este deu uma maior velocidade à lateral esquerda assim aparecendo as chances. Após uma bola alçada na área, por Leandro Bomfim pelo lado direto, Leandro Amaral fez o gol.

 

Os Camisas Negras regidos pelas 20 mil vozes chegaram com perigo ao gol de Magrão, mas as chances diminuíram após uma lambança de Luizão sendo expulso e fazendo Lopes tirar Mádson para por Rodrigo Antonio, recompondo a zaga, aos gritos de burro. O Gigante da Colina não desistiu e aos moldes da Mercosul de 2000 com uma bola sobrada na área, desta vez para Edmundo, o jogo fica empatado aos 47 minutos.

 

A torcida não desistiu, os gritos de “AH É EDMUNDO!” ensurdeciam qualquer um. A disputa foi para as penalidades e o destino colocou Edmundo mais uma vez diante de um penati decisivo.A torcida aflita, todos os holofotes virados para ele, e a mídia já pensando nas maliciosas manchetes do dia seguinte. Aquela cobrança pareceu demorar horas, e todos pensavam se desta vez a história seria diferente, Edmundo tinha mais uma chance de mostrar seu amor pelo Vasco, mas a nossa maior estrela perdeu o primeiro, dando (mais) uma apunhalada nos Guerreiros Cruzmaltinos.

 

A história, todos já sabem: 5 x 4 e o craque veterano culpado mais uma vez após perder seu 4ª penal decisivo para a equipe. O que digo após analise do jogo é que Edmundo não teve culpa por perder o pênalti. Nosso camisa 10 fez o gol do empate e foi grande responsável pela campanha vascaína com um time medíocre até as semifinais da Copa do Brasil. Anos de má administração e contratações de “subjogadores”, levaram às dívidas e escassez de títulos. A Torcida está de parabéns por lotar São Januário e acreditar na classificação, o time dentro de seus limites buscou alguma coisa, mas o problema na Colina fica ao lado das sociais.

 

Devemos ter esperança na Cruz de Malta.

Anúncios

2 comentários sobre “Apenas mais uma esperança.

  1. Mais um pênalti importante perdido pelo Edmundo. Parece até que é de propósito….

    Ele é craque, deu mais qualidade ao time do vasco mas fazer uma cobrança como aquela é brincadeira.Melhor para o Sport. Quem sabe ano que vem o Vasco conquiste algo…nem que seja um vice, rsrsrsrs

  2. O Vasco jogou muito mal no primeiro tempo.A pressão não foi causada e acho que o Lopes errou na escalação,pois a entrada do Alex Teixeira centralizava demais nossos ataques. O Mádson entrou no 2º tempo, e junto de Jean,fez a defesa do Sport se abrir mais,algo que faltava. A saída do Luisão obrigou o Lopes a fazer a opção certa,pois,caso se tirasse outro jogador senão Madson,ficaria uma avenida para Luisinho Neto,Luciano Henrique e Carlinhos Bala deitarem e rolarem.
    De resto,gostei MUITO da raça do time.
    Infelizmente o Edmundo perdeu o pênalti mas não cola mais a máxima de que”no futebol de acontece tudo e pênaltis são loterias”. Deve bater os mais capacitados,o que não concerne dentre as habilidades do Animal,antes de mais nada,UM ÍDOLO ETERNO.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s