Ai, jesus…

Fla-Flu sem emoção não existe. O maior clássico do planeta acrescenta a cada partida uma página na bíblia sagrada do futebol. E hoje não foi diferente. O jogo que parecia que ia decepcionar os torcedores no primeiro tempo mudou completamente de cara na segunda etapa e honrou o nome. Os times passaram longe de apresentar um futebol a altura do que é o Fla-Flu, mas as circunstâncias tornaram histórica a vitória Rubro Negra por 3 a 2.

O herói de hoje foi o contestado Dario Botinelli. O argentino que chegou com status de promessa e até o jogo de hoje não tinha mostrado a que veio resolveu desencantar justamente no Fla-Flu. Não tinha oportunidade melhor. O nome de El Pollo já entrou no hall dos grandes heróis do clássico, ao lado de Renato Gaúcho (talvez o símbolo do Fla-Flu com seu histórico gol de barriga em 95), Adriano Imperador, Assis, Zico…

Discordo dos que disseram durante a semana que esse seria o Fla-Flu mais importante dos últimos 10 anos. O Fla-Flu mais importante de todos é sempre o que está por vir. Não importa a situação, pode ser até no futebol de botão, Fla-Flu sempre será Fla-Flu e vice-versa. Novos heróis surgirão, novas histórias serão contadas, novas reclamações serão feitas e o grito de “Ai, Jesus” continuará na garganta da galera. Isso é Fla-Flu…

Anúncios

Fla-Flu: O Maior Espetáculo da Terra!

Enorme, esmagador, capaz de transformar em carnaval um espetáculo de futebol, o Maracanã já é uma lenda. A realidade contudo, é muito maior. A memória que em mim, ficará para sempre do Fla-Flu e, mais, do próprio futebol brasileiro, será desta enorme, pungente, feliz experiência humana

Hugh McIlvanney, correspondente do The Observer

O comentário de Mcllvanney para o Jornal do Brasil após um jogo do Campeonato Carioca em 1969 mostra que não precisa ser Rubro Negro ou Tricolor para entender o que significa o “Clássico das Multidões”. Algo que transcende o jogo dentro das quatro linhas.

As raízes do Fla-Flu é diferente de tudo o que já se viu no futebol. Uma história fascinante que justifica a rivalidade entre os dois. Criador e criatura frente a frente. Não há uma criação midiática como tantos outros que vemos por aí, principalmente no futebol mundial.

Não há um Fla melhor que o Flu nem um Flu melhor que o Fla. O Fla-Flu é indivisivel e imprevisível. Como explicar o primeiro clássico da história quando o tricolor mesmo sem seus nove titulares, que haviam formado o clube Rubro Negro, venceu por 3 a 2?

Hoje teremos o prazer de assistir mais um Fla-Flu. Os dois últimos campeões brasileiros voltam a se encontrar em uma semifinal da Taça Rio. Os times que entrarão em campo vivem momentos distintos desde o começo do ano. O Fla sem freio do começo do ano não conseguiu empolgar a torcida até agora. O Flu que parecia morto conseguiu uma classificação heróica para a segunda fase da Libertadores e vem embalado.

O futebol é assim, o que valia ontem não serve para hoje. Nesse domingo de páscoa pode até não ter chocolate, mas que haja a ressureição desse clássico que encanta pessoas do mundo inteiro.

Hoje é dia de Fla-Flu, hoje é dia de alegria!